x

Feeed

TikTok: Geração Z? Minha marca se encaixa? Qual é a “receita”?

por Mariana Gouveia
Sep 18th, 2020 » 5 min (BrandedContent) (GeracaoZ) (TikTok)

Ilustração por: HUNTER FRENCH

Após 6 meses de pandemia já conseguimos nos encaixar em um novo “modus operandi” (a incrível capacidade de nos adaptar rapidamente) e continuamos buscando soluções que, mesmo a curto prazo, nos ajudam a nortear os próximos passos e tirar aprendizados.

Uma das soluções encontradas por nós nesse período se refletiu no aumento do consumo de vídeo e entretenimento: Lives, calls entre amigos, colegas de trabalho e familiares obtiveram um pico desde o início da quarentena. Mas, além disso, deixamos de ser espectadores dos produtores de conteúdo para sermos os próprios produtores através da maior febre da internet desde o início da pandemia: o TIKTOK.


Há inúmeros artigos e dados de audiência que comprovam o sucesso do TikTok desde o início do isolamento - e não precisamos falar sobre isso novamente. Vocês já cansaram de ver esses artigos. O que quero deixar aqui são pensamentos e insights que aqui na Live sempre são discutido dentro da nossa equipe de Data & Consumer Connections.


[1] Geração Z: Não quero contestar que essa plataforma é movimentada (em números de acessos) por grande parte da geração Z, mas é notório que há um crescimento considerável das gerações Y e X, e inclusive, bastante influenciado pela geração mais nova e por grandes celebridades/influenciadores. Ou seja, não é app de adolescente não, bb. Só vem que tem espaço pra todo mundo!


Fonte: Comscore Brasil - Julho/2020

Fonte: Comscore Brasil - Julho/2020

 [2] Minha marca se encaixa? Vou te devolver a pergunta: você já estudou seu produto/marca? Já estudou os territórios de interesse e hábitos do seu target? Agora que já entendemos que a plataforma tem atingido pessoas de diversas idades, quero te contar que ela também tem espaço para diversos assuntos e interesses (e vale a pena você entrar e estar de olho no que acontece dentro do app - desde os desafios, músicas lançadas, hashtags, etc. - para aproveitar de oportunidades que casem com seu produto/marca).


 Se seu target tem afinidade com música, por exemplo, essa é a plataforma perfeita. Se sua marca tem relação com food&drink pode lançar um #desafio, que tal?

 O  mais importante é não ser oportunista, e sim ter criatividade, bom humor, autenticidade e senso de comunidade.

 Para as marcas que ainda não estão no TikTok, gosto de recomendar a entrada na plataforma de três formas:

 1- Canal proprietário: Se essa for a sua escolha, tenha em mente que você precisa ter uma presença frequente na plataforma. Diferentemente de uma página no Facebook, onde é possível impulsionar uma publicação, o TikTok precisa ter frequência de conteúdo para que você seja percebido, receba visualizações, likes e ganhe seguidores.

 1.1- Abuse das hashtags em seus conteúdos. São elas que ajudam a disseminar os seus vídeos de acordo com os interesses das pessoas. Não use apenas a hashtag de campanha ou com o nome da sua marca. Utilize hashtags genéricas, mas que tenham relação com o conteúdo, pois é isso que norteia o interesse do usuário.

 2- Influenciadores: Muitas marcas têm optado por não abrir um canal e fazer conteúdo direto com influenciadores que conversam e têm maior afinidade com sua audiência. Mais uma vez aqui estudo de target é importante. É uma forma natural de aproximar a marca do público, e muitas vezes, de uma forma mais divertida e leve.

 3- Parceiros de conteúdo: Embora estes ainda sejam poucos dentro do app, existem parceiros que produzem conteúdo e entregam para as marcas. Aqui na Live fizemos uma parceria com o Tastemade Brasil para que eles produzissem conteúdos para a Sadia através dos influenciadores do canal.

[3] E a receitinha pra dar certo? É claro que não tem! ¯\_(ツ)_/¯ Mas posso compartilhar alguns dos meus pensamentos:


É através dos interesses e hábitos, em conjunto com o real-time do app, que as oportunidades acontecem. O real-time do app é muito baseado nas hashtags e desafios que são lançados por influenciadores e usuários. Fique de olho diariamente. 

Como já dito, se você tiver um canal, a frequência é importante. Teste os criativos, o uso das hashtags e faça suas análises.


Por fim, não tenha medo de errar. Já adianto: alguns conteúdos vão dar certo. Outros não. Bora testar e arriscar!


Share